14.12.04

A Grande Guerra (2)

Quase todas as minhas recordações do tempo da guerra se situam na Rua do Bonfim,
Mas quando as sirenes anunciaram o fim da guerra já nós morávamos na Rua S.to Ildefonso, e a elas se juntaram as buzinas dos automóveis. Festa assim só quando o meu filho nasceu…no dia 31 de Dezembro, 17 anos mais tarde.
E que dizer das distancias? Viagens que agora se fazem todos os dias para ir para o trabalho, naquele tempo eram motivo para uma excursão. Para ir ao Bom Jesus, a Braga, ao Gerês, à Casa do Gaiato, a S. Miguel de Seide, até à Serra do Pilar…planeava-se uma excursão de um Domingo qualquer durante o verão.
No Inverno ia-se buscar “borralho” à padaria para acender a braseira onde não raras vezes queimei sola de sapato e era na padaria que se assava o carneiro em tempos de S. João e as castanhas no Inverno. A minha rua, do Bonfim, tinha tudo até uma carvoaria, o sapateiro onde também se mandava cortar as pontas dos sapatos para durar mais um ano, o barbeiro cuja irmã se enamorou do meu pai…homem jeitoso para a época.
Ao fundo da rua, a minha escola, que muitas vezes eu teria gostado que fosse longe para poder andar de eléctrico, como algumas das minhas coleguinhas. Ir ao Campo 24 de Agosto ou ao jardim de S. Lazaro era um passeio para recordar, era lá que íamos buscar as folhas de amoreira para dar aos bichos-da-seda que íamos acompanhando na sua metamorfose até ser casulo. Mas era o cheiro das tílias o que predominava sobre os outros.
Da guerra de lá longe as crianças pouco sabiam, e as poucas privações de que me lembro estavam relacionadas com o racionamento dos bens de consumo, com o cuidado em não deixar passar luz para fora à noite e claro com as tiras de papel, que no nosso caso eram de pano, nos vidros das janelas por causa dos estilhaços, em caso de bombardeamento.
Era o tempo dos soquetes, dos babeiros, dos cabelos em tranças ou cachos feitos com chá açucarado para não se desfazerem.
Era o tempo do”todo o tempo…”!

2 comentários:

Snowgaze disse...

Blog lindíssimo, com histórias tão bem contadas que até parece fazermos parte delas. Os meus mais sinceros parabéns!

Anónimo disse...

Pus a leitura em dia Theozinha......
Como gosto de te ler....