16.10.05

O Amolador


Sempre que ele passa eu recuo no tempo e volto ao da minha meninice em que pela rua do Bonfim passava o “amola tesouras e facas!”…
Este afia na linha e conserta também guarda-chuvas.
Ouço-o várias vezes na sua gaita-de-beiços e invariavelmente sinto desejos de lhe tirar uma fotografia.
Hoje calhou que ia a sair e lá vinha ele.
Pedi-lhe licença e saiu esta foto que ele disse irá querer uma prova.
Assim será, com os meus agradecimentos.

8 comentários:

Mocho Falante disse...

Costuma-se dizer que quando aparece...a chuva vem com ele.... nesse caso que haja muitos amoladores por este país fora...

Beijocas com sabor a doce de tomate

Tareca disse...

Saudades de ver um amolador e ouvir o barulho que fazia.Theo, gosto tanto do teu geito simples e sentido de contares tuas vivências... beiinhos grandes duma sumida que gosta muito de ti

Madalena disse...

Costumava trazer chuva, lembras-te?
Já não o ouço há muito tempo. Por isso, é sempre bom recordar!

Laura Lara disse...

Traz chuva, traz. Há dias ouvi-o e choveu!

Desconhecida disse...

Há anos que não oiço um...pensava que já não existiam.

Quica disse...

Pois eu tenho verdadeiras saudades do "anuncia a chuva" que pedalava, pelas ruas, numa bicicleta toda "artilhada" que ele virava ao contrário para afiar as facas e as tesouras e que arranjava chapéus de chuva.
Gostei deste cantinho. Hei-de voltar.
Bj

IO disse...

Bonita homenagem a um tempo que também somos, th! - beijo, as melhoras, IO.

Leonoretta disse...

oi theo.
e o senhor todo inchado, claro, rss

beijinhos da leonor