20.8.05

De Mãos Dadas


É raro ver, mas quando acontece devia ter honras de repórter. Refiro-me aos casais de mão dada.
Mas a minha admiração não vai para todos, o meu encanto vai para alguns, para aqueles que pelo seu comportamento merecem a minha ternura.
Fora os jovens que pelo seu “enleamento” parecem nem sequer dar pela nossa presença, é sobretudo para as crianças e os velhos que o meu olhar se pousa agradecida pela cena e pela capacidade de a apreciar.
Há dias fiquei embevecida a olhar para um casal, mas um casal diferente, desta vez mãe e filho, mas não uma mãe e filho quaisquer, uma mãe pequenina, já com cabelos brancos e um filho adulto, alto e que sofre de um notório atraso mental.
Conheço-os há já bastante tempo, vão sempre ao cinema juntos, mas pela primeira vez os vi de mão dada.
As mãos que se dão trazem atrás de si muito carinho, uma cumplicidade que corre pelos membros como fluido em vasos comunicantes, são elas que formam as correntes e transportam energias, que timidamente se apertam ou se levam ao peito numa dádiva.
Metaforicamente podemos dar as mãos numa solidariedade por uma causa a bem da humanidade, mas o mais triste é na verdade ficar de mãos a abanar, sem o encontro que é o caminhar de mãos dadas.


4 comentários:

Caracolinha disse...

Olá, bom dia .... e que melhor maneira de começar o dia ????

Linda essa história e lindo o facto de ainda haver pessoas que gostem de dar as mãos .... sou uma pessoa muito física e acho o contacto uma forma muito inteligente de se reforçarem os sentimentos. Gosto de tocar, gosto de dar as mãos.

Da mesma forma senti que nos deste a todos a mão com esta magnífica partilha. Eu pelo menos senti assim.

Um beijo cheinho de carinho minha querida ~:o)

Madalena disse...

Lindo, Theo! Através das mãos tudo se dá: conforto, segurança, mimo, carinho e toda a espécie de amor. Um beijinho para ti!

Leonoretta disse...

ola theo.
como sempre colocas mensagens muito bonitas. mas olha... penso que dar as maos em solidariedade nao é metafora. é literal mesmo.

beijinho da leonor

Anónimo disse...

Sempre que posso venho ler a tua sebenta. Nunca comento,porque tenho alguma dificuldade em lidar com esta maquina!!!!!!!!
Muitas e muitas vezes o que escreves me tem tocado, mas o "DE MÃOS DADAS"foi de tal forma que naõ resisti. BEM HAJAS THEO , pela ternura e sensibilidade que transmites.
Beijinhos
Paula (Almeirim)