30.3.06

Um dia tinha que ser

Eu estava muito caladinha a ver se não era “premiada”, mas o Gil, não me perdoou…mas é com muito gosto que vou tentar responder:

-Quatro empregos:
Dona de casa (inclui trabalhar como cozinheira, lavadeira, brunideira, mulher a dias (e noites) ama seca (e molhada), explicadora, psicóloga, carpinteiro, electricista, decoradora, costureira, etc).


Empregada de escritório (em vários sítios, inclusive em casa fiz a contabilidade de um despachante da Alfandega do Porto).


Empregada de balcão de Boutique, sapataria…


Barmad ou Barlady, como quiserem, em dois bares de amigos.


Ecónoma num restaurante com os mesmos amigos.


E vários outros, até venda para supermercados de ossos para cães.

Sou dona de casa desde os 11 anos e para não depender de ninguém fui trabalhando aqui e ali, terminei os meus estudos para ficar em casa a fazer o meu enxoval, bordando e costurando, que cozinhar já eu sabia e bem.



-Quatro sítios onde vivi:
Porto, onde nasci ( ruas Bonfim 208, Stº Ildefonso 407, António Granjo 105, Ciríaco Cardoso 343, Aval de Cima (?)
Londres (onde tive casa 4 meses…conta?) Gloucester Terrace 107
Lisboa ( Miraflores, Príncipe Real, Lapa)
Linha de Cascais ( entre Oeiras e Cascais)

Gosto muito de morar perto do Mar, morreria de saudades se tivesse que viver no interior.




-Quatro filmes que voltaria sempre a ver:
Tantos e tantos, que vai ser difícil, até aos quarenta anos vivi no Porto e era sócia do Cineclube, assim houve fins-de-semana que cheguei a ver quatro filmes. Depois foi há imenso tempo e a memória atraiçoa-me.


Aniki-bóbó, português, de Manoel de Oliveira, o primeiro que vi dele.



Revistos ultimamente, com prazer: Cinema Paraíso e O Fabuloso destino de Amélie Poulin


Rocco e seus irmãos





Belle de jour








Meu tio da América


Ladroes de bicicletas


O milagre de Milão


Deserto Vermelho


Todos os de Ingmar Bergman


Boa noite e boa sorte, o último que vi.

-Quatro pratos favoritos:
Lampreia à bordalesa
Picanha brasileira
Tripas à moda do Porto, claro…
Bacalhau ( ou polvo) à lagareiro

Como se costuma dizer…não vou daqui-ali para comer seja o que for, mas gosto de boa cozinha, habituada que fui à do norte.

-Séries que nunca perco:
Isto é ou não é bem assim…eu explico. Sempre que possível vejo O Sexo e a Cidade e todas as séries inglesas, britcom, etc. Passo pelo People & Arts e o que apanhar, vejo, tb no AXN.
Via sempre “Estes difíceis Amores” de Júlio Machado Vaz, o meu Julinho como com ternura o trato. Estão de quarentena , penso, neste momento.

-Websites:
Os blogs dos amigos e os que não sendo amigos se tornaram queridos pelo intercambio.
Os meus groups
O Google
Infopédia

-Sítios onde gostava de ir agora:
Todos e qualquer um onde o pensamento me levasse numa auto-transportação…
Um lugar no outro Mundo, para saber se existe e como é antes de ir para lá…

Será que as minhas respostas deram para me conhecerem um pouco melhor? Espero que sim.
Difícil vai ser nomear os “castigados” para próxima tarefa…

Lá vai:
Mocho Falante
Caracolinha
Bastet
Malefícios da Felicidade







5 comentários:

Mocho Falante disse...

ai meu deus fui apanhado outra vez... será um post dos meus um dia destes..ahhh mas não perde pela demora lolololol

IO disse...

Mas ela é sensacional a responder a estas koisas: gostei, th!! - beijo, uma que ficou com vontade de ver de novo o 'B'noite & boa sorte".

Carlos Gil disse...

Imp'! e agora que te chibaste e estiveste a loar as tuas kualidades de cozinheira, quando é que metes uma receitinha, pois fiquei aguado ao ler 'polvo à lagareiro'? nos filmes lembraste-me um que omiti injustamente, o 'Sétimo Selo' do Bergman. Lembro-me de ter gostado muito dele, feliz exemplo 'doutro cinema'.
Chiça, e tu nos job's tb correste a ementa quase toda, hein? lol
Beijinho à tripeira que gosta de ares com cheiro de salgados, pimenta que apalada o Viver como só é possível ao pé do Mar.

Bastet disse...

Minha querida: Como pudeste ler ando meia muda mas não podia deixar de te responder porque se na net se estabelecem relações virtuais de carinho, sem dúvida que contigo está estabelecida há já longa data. Por ti chegaram ao meu blog o Mochinho e a Caracolinha, dois também já amigos virtuais que, tal como tu, transbordam amor e bondade nas suas palavras, chegou também recentemente o Carlos Gil que pela simpatia do comentário que me deixou deveria desde logo ter desconfiado que também vinha desta tua casa! Não posso pois deixar de responder ao teu desafio e de te deixar um obrigada sincero por te lembrares de mim.

Rui disse...

Arghhhhh :)
Deixa-me acabar os trabalhos em que me meti e despachar dois desafios que estão em espera - ah pois sim...