9.12.05

Análise

Perdi um pouco o ritual…
Perdi um pouco de incentivo.
A descoberta deixou de ser aquele brinquedo novo que me deixava absorvida até o dia raiar.
A net!
Passeei muitas vezes pela noite adentro de mão dada com as palavras, ideias que surgiam às vezes já quando o sono queria tomar conta das minhas pálpebras, em batidas compassadas.
A net!
Começaram a aparecer as pessoas, tornaram-se reais, algumas delas.
O passado em simples narrativa, tão aliciante para alguns, o meu passado, por mais passado do que o deles, foi pretexto para elogios e grandes cumprimentos.
Eu estava contente comigo mesma e os outros também, e eram disso causa.
Veio depois o hábito, a habituação, e daí ao vício foi um passo. Não sendo mulher de vícios fui aos poucos alterando os passos, voltando aos antigos costumes, não deixando porém de ficar presa ao que se passava na net.
Numa idade em que as coisas se passam mais rápidamente, ao contrário do desenvolvimento das células, fui aos poucos deixando que o deslumbramento fosse ultrapassado, e aqui me surge uma dúvida…pela preguiça ou pelo stress?
Algo veio tomar conta das minhas horas, daquelas horas de lazer que me traziam até aqui, inventando “estórias”. “Mexer-me” para o que é essencial exige de mim toda a energia disponível. Daí que os últimos posts sejam pobres e desmotivados.
Creio que nestas situações o único remédio é deixar o tempo passar e esperar que os neurónios se recomponham, quiças não sobrecarregar a mente à procura pelo meandro da imaginação daquilo que, estou certa, virá naturalmente, depois da casa arrumada.
Aqui ou ali vou dando conta do estado da situação, na medida do possível.

2 comentários:

Carlos Gil disse...

Com toda a calma do mundo, Theo. A net, blogar, os grupos, tudo isso só é consequente se der(-nos) prazer. Sem mexer os nosos ritmos de forma a que outros, importantes, não se sintam melindrados. Vai portanto com calma, nem o blogue foge nem os Grupos. E os amigos muito menos.

CB disse...

Bom sábado Mi-Sapita! Bjo C